TODOS OS TEXTOS AQUI PUBLICADOS TEM SEUS DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS,
DE ACORDO COM A LEI 9610/98.



15 de jul de 2018

BOLERO

Dancemos, eu e tu,
ao som da nossa respiração
no mesmo compasso,
dois pra lá, dois pra cá,
nos deixemos envolver,
nos deixemos levar
pelo palpitar
dos nossos corações,
abandonemos a razão,
por instantes,
sejamos nós...
Bailemos, eu e tu,
um bailado só nosso,
descansemos
enquanto o sol brilha pra nós,
enquanto a chuva não vem
pra nos abençoar,
enquanto a vida
canta pra nós,
sejamos nós...

Suely Ribella ©

30 de jun de 2018

MEU VINHO

Talvez não sejas como te imagino,
sou sonhadora, não tenho controle,
o melhor dos melhores, te defino,
assim te sorvo até o último gole...

Pertences a uma safra inebriante,
raro bouquet e esplêndido sabor,
intenso, equilibrado, tão brilhante,
que recusar-te, não consigo, amor!

Carícia voluptuosa ou terno afago,
fazes de tudo pra me entontecer,
vinho fino, do qual eu me embriago.

Tanto mais bebo, mais quero beber,
bendito é o vício que comigo trago,
quero te amar, e amar, até morrer!

Suely Ribella ©

15 de jun de 2018

SEGREDINHO


Tenho algo a te segredar,
talvez gostes de saber,
já desisti de tentar,
não consigo te esquecer!


Suely Ribella ©

30 de mai de 2018

FASES


Tenho fases,
toda mulher tem...
tenho fases de sofrer,
me esconder,
achar que você não me quer,
pensar que sou apenas
um brinquedo pra você...
tenho fazes de me sentir feliz,
sonhar, rir à toa,
achar que você é só meu,
não pensar no que pode
afastar você de mim...
tenho fases
de loucura e lucidez,
desvario e sensatez,
e tenho uma fase
imutável, interminável,
de amar você!

Suely Ribella ©

15 de mai de 2018

PRESENTES DIVINOS

A Vida é um presente de Deus.
Um presente que vem bem embrulhado
e nem sempre é fácil abrir.
Mas, a gente abre para desfrutar
de tão preciosa dádiva.
O Amor vem junto com a Vida,
um presente lindo e simples
que se desembrulha sozinho.
A gente usa e abusa da Vida
e o Amor usa e abusa da gente.

Suely Ribella ©

30 de abr de 2018

A FORÇA DE TAURUS


Idade nova chegando...
Olho para a balança...
num prato, o peso do corpo,
dos anos vividos,
o peso dos erros,
das decepções,
das desilusões...
no outro prato, muito pouco,
ainda tenho fome de vida,
de alegrias...
ainda tenho ilusões...
Que me venham
mais anos, mais erros,
mais lágrimas, mais risos,
mais tudo o que tenho direito!
Enquanto eu amar,
quero viver,
seja do jeito que tiver que ser!

Suely Ribella ©

15 de abr de 2018

GÁS


Tenho a força da paixão
e a suavidade do amor,
sou forte e frágil,
mulher guerreira
e menina indefesa,
a paixão me faz
acreditar e lutar,
morrer e renascer,
o amor me faz
sonhar, sorrir,
mesmo sofrendo,
e continuar...
Continuar sendo forte,
vivendo e amando,
amando e vivendo.

Suely Ribella ©

30 de mar de 2018

LEVA...

Não precisa me levar a sério,
tão somente me acredita,
não há nenhum mistério,
te amo, e te amo tanto,
que não tenho medo
do que possas fazer comigo,
o medo que tenho,
é do que eu seja capaz
de fazer por ti.

Se me levares, leva brincando,
que é tão bom brincar contigo,
e te amar é uma brincadeira
bem gostosa e muito séria!

Suely Ribella ©

15 de mar de 2018

ESPAÇOS


Gavetas vazias,
armários desocupados,
vaguei espaços... 

Mãos vazias,
pensamentos desocupados,
sobram espaços...

Coração ocupado,
sem espaço,
repleto de ti...

Suely Ribella ©

28 de fev de 2018

RELAX

Fecha os olhos suavemente,
respira fundo e calmamente,
aquietado permanece,
o silêncio é uma prece,
e assim te deixa ficar...
deixa que teu pensar
voe por céus e mares,
te transporte a lugares
nunca antes visitados,
ouve os sons nunca escutados,
de uma música que embala,
sente o perfume que exala,
dessa paz a te envolver...

Suely Ribella ©

14 de fev de 2018

YES

Molhar-me
na água do mar,
na chuva,
dançar,
rir à toa,
gargalhar
feliz,
feliz,
feliz...
Quando?
Logo mais,
à noite,
em sonhos...

Suely Ribella ©

30 de jan de 2018

DESPREOCUPAÇÃO


Amei, distraída,
fui levando a vida,
apaixonada.

Não esperei flores,
tão pouco, dores,
esperei nada.

Tive desejos.

Desejei-te.  

Suely Ribella ©

15 de jan de 2018

SIMPLICIDADE

Ah, loucos sonhos meus,
onde meus pés caminham
livremente
e tenho nas minhas mãos
as tuas,
simplesmente...

Suely Ribella ©

30 de dez de 2017

QUE VENHA O NOVO ANO


Um ano novo risonho,
felizes noites e dias,
realizando o sonho
de paz, amor e alegrias!

Suely Ribella ©

20 de dez de 2017

AUTO DE NATAL

O “palco” está quase pronto,
a “encenação” vai começar,
“os artistas” se aproximam,
“a plateia” também.
É Natal.
Amém.

Suely Ribella ©

10 de dez de 2017

FORÇA DO AMOR

O silêncio me envolve,
a solidão me acompanha,
a tua ausência me agride.

Sem forças para reagir,
entrego-me ao sofrimento,
abandonada, debato-me.

A morte se afasta de mim.

Eu tenho a força do amor.

Suely Ribella ©

30 de nov de 2017

LIVREMENTE...

A liberdade nos pés
descalços, livres
para andar, saltar...

A liberdade do pensamento
leve, solto,
para sonhar, voar...

Correr o mundo, livremente.

Estar onde quiser, livremente.


Suely Ribella ©

20 de nov de 2017

PESO

Pesam os anos já vividos,
quando a idade avança e vemos
que ainda há sonhos não realizados...

Pesa o tempo que passou,
a impotência diante do fim,
a cruz que, obrigados, carregamos...

Pesa a consciência, pelo que não foi feito...

Pesam os pecados que não cometemos...

Suely Ribella ©

10 de nov de 2017

ALÉM

Amo-te além,
onde e do jeito
que mais ninguém
ousou amar.
Quero-te além,
das minhas forças,
do horizonte,
do infinito,
de tudo que se possa
pensar, supor...
quero-te além da vida,
amo-te além do amor.

Suely Ribella ©

30 de out de 2017

VILÃ

Ela chega,
abraça, fica
e, nada explica.

Tira o gosto,
o prazer,
a vontade de viver.

A tristeza vem e vai,
ela não,
pura aporrinhação.
  
Na mira da vilã,
a vulnerabilidade
em qualquer idade.

Tudo ou nada
pode ser razão
para a depressão.

Suely Ribella

20 de out de 2017

NUNCA ESTOU SÓ













Nos dias em que a saudade
me faz querer o teu carinho,
nas noites em que te sonho
e o meu desejo chama por ti,
me encolho, triste, sem opção,
no colo da solidão...
E quando todos esses sentires
me apertam mais fortemente,
te sinto a chorar comigo...

Suely Ribella ©

10 de out de 2017

CRIANÇAS DE ONTEM

De ciranda e cirandinha,
passa o anel, amarelinha,
no meu tempo se brincava
e toda criança cantava...
Hoje as cantigas de roda
ficaram fora de moda?
Pega pega, esconde esconde,
o tempo levou pra onde?
E outras brincadeiras mais
o tempo deixou lá atrás...
Até mesmo o que era sério
já mudou o seu critério,
um romance natural
informatizou geral,
para muitos, hoje, o amor
nem sai do computador...

Suely Ribella ©

30 de set de 2017

GENTE

Tem gente que a gente não gosta
e tem gente que gosta da gente,
e a gente nem sabe por quê...

Tem gente que a gente gosta
e tem gente que não gosta da gente
e atura a gente, por conveniência...

Tem gente que é gente.

Tem gente que não existe.

Suely Ribella ©