TODOS OS TEXTOS AQUI PUBLICADOS TEM SEUS DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS,
DE ACORDO COM A LEI 9610/98.



30 de jun de 2018

MEU VINHO

Talvez não sejas como te imagino,
sou sonhadora, não tenho controle,
o melhor dos melhores, te defino,
assim te sorvo até o último gole...

Pertences a uma safra inebriante,
raro bouquet e esplêndido sabor,
intenso, equilibrado, tão brilhante,
que recusar-te, não consigo, amor!

Carícia voluptuosa ou terno afago,
fazes de tudo pra me entontecer,
vinho fino, do qual eu me embriago.

Tanto mais bebo, mais quero beber,
bendito é o vício que comigo trago,
quero te amar, e amar, até morrer!

Suely Ribella ©